Está offline. para recarregar esta página conecte-se a uma rede.
Hoje
20º / 20º
Floresta

Viana do Castelo assinala IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora de 16 a 20 de maio

  • Notícias
  • Viana do Castelo assinala IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora de 16 a 20 de maio
A Câmara Municipal de Viana do Castelo assinala, de 16 a 20 de maio, a IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora, com diversas ações de voluntariado ambiental que contribuem para a sensibilização da comunidade sobre as espécies exóticas invasoras em prol da conservação da natureza.
Floresta | 11 maio 2023

A Câmara Municipal de Viana do Castelo assinala, de 16 a 20 de maio, a IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora, com diversas ações de voluntariado ambiental que contribuem para a sensibilização da comunidade sobre as espécies exóticas invasoras em prol da conservação da natureza.

As espécies exóticas invasoras são uma ameaça real à biodiversidade a nível global, provocando impactos consideráveis no ambiente, pelo que o papel dos cidadãos é fundamental não só na prevenção das invasões biológicas, mas também na mitigação dos seus impactos.

Esta Semana Municipal está enquadrada na Semana sobre Espécies Invasoras Portugal & Espanha 2023 (SEI 2023) da Rede Portuguesa de Estudo e Gestão de Espécies Invasoras, da Plataforma INVASORAS.PT, dos projetos LIFE STOP Cortaderia e LIFE INVASAQUA e do Grupo Especialista em Invasiones Biólogicas.

O programa arranca dia 16 de maio, pelas 9h00, com uma ação de voluntariado ambiental dos colaboradores da Câmara Municipal no Monumento Natural da Ribeira de Anha com cerca de 41 hectares, classificado pelo Município de Viana do Castelo em 2016.

O Monumento Natural Local da Praia Eemiana da Ribeira de Anha apresenta elevado interesse científico, associado à preservação de importantes indícios geomorfológicos e estratigráficos. Conserva o resto de uma praia de seixos do último interglaciar, com idade absoluta próxima de 125 mil anos. Este registo é, até ao momento, o único deste género na costa do Alto Minho, conhecendo-se só mais um, no setor costeiro da Gelfa-Forte do Cão.

Já no dia 17 de maio, pelas 9h30, acontece uma ação, no âmbito do Protocolo de Cooperação para a Manutenção Ecológica de Áreas Classificadas, com a Nortaluga no Monumento Natural do Planalto Granítico das Chãs de Santa Luzia, onde podem ser observadas diferentes formas típicas do relevo granítico.

No dia seguinte, 18 de maio, o Monumento Natural da Ribeira de Anha é novamente palco de ação, desta vez pela VianaLocals, também prevista no protocolo de cooperação, a partir das 9h30. Já a 20 de maio, será desenvolvida uma atividade de voluntariado ambiental com o público geral e outra com a Explore Iberia no Monumento Natural do Alcantilado de Montedor, também pelas 9h30. Este Monumento Natural, com uma área aproximada de 55 hectares, localiza-se na freguesia de Carreço e conserva 4 níveis de praias antigas, acima do atual, a 18m, a 13m, a 8m e a 5 metros, correspondendo aos sucessivos níveis do mar elevados dos últimos 400 mil anos, e a que se sucederam períodos glaciários.

Nesse mesmo dia, as praias do Cabedelo, Amorosa e Castelo de Neiva, a partir das 14h00, são alvo de intervenção pelo Corpo Nacional de Escutas.

Ainda no âmbito da IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora, de 16 a 20 de maio estará patente a exposição “Vespa velutina – Alto Minho”, no Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA), do projeto “Controlo Vespa 2.0 | Estratégia de Prevenção e Controlo da Vespa velutina nos Ecossistemas do Alto Minho”, promovida pela CIM do Alto Minho em colaboração com os seus municípios associados, no âmbito de uma candidatura financiada pelo POSEUR que, partilha informação sobre o fenómeno de invasão levado a cabo por esta espécie exótica focando-se, em particular, no seu efeito no Alto Minho.

Importa referir que a IV Semana Municipal de Combate à Vegetação Invasora consta do plano de atividades elaborado pelo aspirante Geoparque Viana do Castelo no âmbito do “Biénio para a Ação Climática nos Geoparques Portugueses 2022/2023”, que pretende, na esfera das competências dos Geoparques Mundiais da UNESCO, incorporar medidas e contribuir para a implementação de estratégias de desenvolvimento territorial sustentáveis, de forma a minimizar os problemas e os desafios identificados com relação às alterações climáticas nos diferentes territórios geoparque e aspirantes. Esta ação contribui também para a implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis 11|Cidades e Comunidades sustentáveis, 13|Ação Climática, 14|Proteger a Vida Terrestre e 17|Parcerias para a Implementação dos objetivos.

Resumo
Categoria
Floresta