Está offline. para recarregar esta página conecte-se a uma rede.
Hoje
20º / 20º
Floresta

Dia Nacional da Floresta Autóctone: Viana do Castelo já plantou 4.700 árvores e milhares de arbustos autóctones

  • Notícias
  • Dia Nacional da Floresta Autóctone: Viana do Castelo já plantou 4.700 árvores e milhares de arbustos autóctones
DIA TEMÁTICO | A Divisão de Ambiente e Alterações Climáticas assinalaram o Dia Nacional da Floresta Autóctone através de duas ações que incluíram a plantação de espécies autóctones.
Floresta | 23 novembro 2023

A Câmara Municipal de Viana do Castelo está a investir na valorização ecológica e ambiental e já plantou cerca de 4.700 árvores e milhares de arbustos autóctones. Os dados foram relevados no âmbito das comemorações do Dia Nacional da Floresta Autóctone, a 23 de novembro.

Assim, a Viana do Castelo atingiu este ano uma meta ambiental significativa com a plantação de milhares de espécies autóctones, através do desenvolvimento de diversos projetos, dos quais se destacam a “(Re)arborização de Espaços Verdes de Viana do Castelo”, o programa “Reflorestar com Identidade” e a “Reabilitação das margens do rio Lima”. Além destes projetos, o Município desenvolveu diversas ações de voluntariado ambiental que incluíram a plantação de árvores autóctones.

O projeto “(Re)arborização de Espaços Verdes de Viana do Castelo”, no momento em fase de conclusão, financiado pelo Programa Compete 2020 em cerca de 74.000 euros, culminou na valorização ecológica, paisagística e social de seis espaços ao longo da malha urbana e periurbana da cidade. Numa área de intervenção aproximada de 14 hectares, foram executadas ações que envolveram a plantação de 147 árvores e 727 arbustos autóctones, o abatimento de árvores com graves problemas fitossanitários e a poda de manutenção de 50 árvores. Esta iniciativa não visa apenas a melhoria estética, mas também reforça a resiliência ecológica do ambiente urbano.

O programa “Reflorestar com identidade”, já no seu quinto ano de implementação, tem como principal objetivo disponibilizar árvores de espécies autóctones aos proprietários florestais, fomentando e incentivando uma gestão florestal do território que se baseie em espécies arbóreas melhor adaptadas, mais diversificadas e nativas. Esta iniciativa, que no ano corrente permitiu distribuir cerca de 155 árvores ao conjunto dos proprietários interessados, assume ainda um papel importante no envolvimento da população na estratégia municipal da defesa da floresta contra incêndios e consequentemente no combate às alterações climáticas.

Com o apoio financeiro do programa operacional COMPETE2020 – REACT-EU Reabilitação da Rede Hidrográfica, num valor total de cerca de 341.277 euros, a Câmara Municipal tem em curso o projeto “Reabilitação das margens do rio Lima” orientado para a estabilização e valorização de dois troços de margem do Lima, face aos cenários de erosão avançada identificados, especificamente na margem esquerda, entre a União de Freguesias de Mazarefes/Vila Fria e a freguesia de Vila Franca, e na margem direita, entre a União de Freguesias Torre/Vila Mou e a freguesia de Lanheses.

Este projeto pressupõe trabalhos de corte, contenção e limpeza de espécies de vegetação invasora, introdução de estacaria viva e plantação de cerca de 4.000 espécies de vegetação nativa.

Ao longo de 2023 foram também organizadas diversas ações de voluntariado ambiental, nas quais a comunidade local, empresas, público em geral e escolar, tiveram a oportunidade de participar ativamente no processo de reabilitação dos ecossistemas locais com a plantação de árvores nativas. Com esta abordagem, o município pretende sensibilizar a população para a importância da conservação ambiental e das alterações climáticas, como também incentivar práticas sustentáveis no quotidiano.

Neste dia, 23 de novembro, comemora-se o Dia Nacional da Floresta Autóctone, e os vários serviços da Divisão de Ambiente e Alterações Climáticas assinalaram esta efeméride através de duas ações que incluíram a plantação de espécies autóctones. As comemorações iniciaram através da dinamização da 3ª edição da Eco Maratona, desta vez em Afife, consistindo no arranque das invasoras instaladas em áreas previamente delimitadas na Praia do Caracol. Posteriormente, os 120 alunos da Escola Básica 2,3 Dr. Pedro Barbosa procederam à rearborização da área limpa com espécies autóctones, sensivelmente 200 pinheiros-mansos.

No decorrer deste dia, foram ainda plantadas, no Monte Galeão, as espécies autóctones cultivadas no Laboratório de Propagação de Espécies Nativas Vegetais, da Escola Básica Frei Bartolomeu dos Mártires, com a participação do grupo de alunos do Clube de Ciências e como o apoio da Unidade de Gestão dos Espaços Verdes da Câmara Municipal.

As árvores autóctones, plantadas no âmbito destas diversas iniciativas, foram cuidadosamente selecionadas para se adaptarem ao clima e às especificidades dos solos de Viana do Castelo. Entre as espécies autóctones selecionadas encontram-se o pinheiro-manso, o pinheiro-bravo, o carvalho-alvarinho, o medronheiro, o loureiro, o amieiro, o freixo, a bétula, o azevinho, entre outras.

As inúmeras ações de plantação de árvores autóctones destacam o compromisso de Viana do Castelo em ambicionar uma floresta melhor adequada às condições edafoclimáticas de cada área do território, que fomente a biodiversidade e que contribua para a prevenção dos incêndios. Pretendem ainda contribuir para o restauro dos ecossistemas, a valorização ambiental e o desígnio de um futuro mais sustentável. Além disso, estas ações contribuem para cumprimento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável previstos na Agenda 2030, dos quais se destacam o ODS 13 – Ação Contra a Mudança Global do Clima e o ODS15 – Vida Terrestre.

Consulte a notícia AQUI.

Resumo
Categoria
Floresta